Da Flor ao Fruto: debate sobre o mundo Plus Size no evento Rosas de Abril

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

BÁRBARA MYSSIOR

 

Gente corre que hoje tem BAPHO! Porque hoje a gente pôde falar ao vivo e debater sobre tudo que a gente fala aqui, e foi lindo demais!

Nessa manhã participamos do evento “Rosas de Abril”, promovido pela ASSUFEMG (Associação dos Servidores da UFMG). Foi o 33º Rosas de Abril, mas esse teve um gostinho especial por ser em comemoração ao aniversário de 44 anos da Associação. Com o tema “Da Flor ao Fruto, é tempo de colher”, este evento teve sua abertura no dia 02 de abril e vai até o dia 27 na praça de serviços do Campus Pampulha e também no Campus Saúde com muitas atrações como feira de artesanato, oficinas e, claro, palestras e debates. E foi nessa que se deu o BAPHO.

Fomos convidadas pela lindíssima Miss Minas Gerais Plus Size Senior, Amanda Barros, que coordenou este II Desfile Plus Size Rosas de Abril, para, junto às lindas Sara Almeida, produtora de moda da TV Alterosa, e Ana Luiza Palhares do Blog Cinderela de Mentira, mediadas por Sandra Costa da marca de moda praia retrô e fitness A minha praia é…, falarmos sobre o Universo Plus Size. E olha que lindeza! O Plus Size é um UNIVERSO!

A Sara começou falando da visão de mercado, em como as marcas escolhem sua grade de tamanhos, seu público alvo e da falta de representatividade das pessoas que vestem tamanhos maiores. Nós do Gorda e a Ana Luiza do Cinderela de Mentira nos empolgamos ao falar do caminho de cada uma até o ponto em que a autoestima prevaleceu e passamos a nos enxergar como mulheres lindas. Falamos muito também no papel da moda nesse processo e em como ela é responsável por termos uma visão positiva ou negativa de nós mesmas. Afinal, o que o mundo enxerga como padrão é um percentual mínimo de mulheres que habitam o imaginário das capas de revistas alteradas por photoshop e dos desfiles de alta costura. Nós pudemos compartilhar histórias e responder a perguntas sobre representatividade e autoestima. Foi um momento de muita troca de informação e muito apoio. A Sandra Costa encerrou o debate com a frase mais perfeita e nos deu um recalque básico por não termos pensado nela antes: “o padrão é ser feliz”.

Hoje nós vimos e ouvimos mulheres lindas: magras, gordas, jovens, coroas, todas engajadas na busca pela sororidade, pelo apoio que nós, mulheres, irmãs, seres humanos temos que, por princípio, oferecer umas às outras. Por que mulher, bicho, mulher é um ser à parte. Todas nós temos nossas inseguranças, todas nós temos aquele dia de querer se enfiar numa burca, todas nós temos nossas inseguranças, desde a modelo da Victoria’s Secret, à blogueira sensação, à musa fitness até sua vizinha gata que levanta às 5 da manhã pra correr! Todas estamos no mesmo barco e, quanto mais cedo percebermos isso, mais rápido eliminaremos o “fogo amigo” que insiste em falar que seu rosto é tão bonito que você devia emagrecer.  

Após essa enxurrada de amor foram abertos os desfiles das marcas Minha Praia é…, Carlota Plus Size, Upsy e Duchérie, sendo que todas as modelos estavam devidamente enfeitadas pela Aya Acessórios. Foi lindo de ver aquelas mulheres lindas, empoderadas, seguras entrando na passarela e deixando sua marca. Mais uma vez, porque já o fizemos pessoalmente, externamos nossa admiração pelas modelos Gi Freitas, Rosi Nascimento, Letícia Caputo, Vivi Olly, Carol Bressolini, Luciana Leal, Magali Dutra, Lorena Alcântara, Walkíria Augusto e a própria Amanda Barros. Também temos só amor e gratidão para Magna Oliveira, sub coordenadora do evento e Julia Maria Diretora de Cultura da ASSUFEMG que tornaram isso possível.

Não podemos deixar de registrar a presença da TV UFMG, para quem demos entrevista (corre lá) e da TV Alterosa que cobriram o evento.

No mais, depois de agradecer todas essas pessoas fantásticas que fizeram esse evento acontecer, só podemos dizer que foi libertador. Poder falar e perceber que a sementinha da mudança está sendo regada e está crescendo é algo muito bom de se constatar. Pouco a pouco o mundo se dá conta de sua pluralidade, da heteronomia de formas e tamanhos de homens e mulheres que todo santo dia, nas palavras de Ana Luiza Palhares do Cinderela de Mentira, “transformam o vestir-se em um ato político” exercendo seu direito de escolha que, por muito tempo, foi tolhido por uma indústria que transforma a exceção em regra e tenta esconder o sol com a peneira, impedindo que corpos que não se sujeitam à ditadura da fita métrica possam se sentir lindos e livres vestindo aquilo que têm vontade. E hoje estivemos todas juntas para, mais uma vez, encher o peito e dizer CHEGA.

Obrigada a todas vocês que, de alguma forma, contribuíram e contribuem para que nossa voz ecoe.

Bárbara Myssior

Bárbara Myssior

Deixe um comentário

Sobre Nós

Clique no botão de edição para alterar esse texto. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

Posts + Recentes

Curte Aí!

Insta Feed