SOBRE ANTES E DEPOIS, UM ANO DEPOIS

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

GABI LESSA

 

Sempre que eu conto o caso da reviravolta que eu dei na minha vida, muita gente me pede para postar fotos do antes e do depois. Eu tenho uma certa preguiça de fotos “antes e depois”. Não sei se é porque a vasta maioria é sobre emagrecimento (de preferência rápido com alguma dieta milagrosa), mas esse tipo de foto sempre me causou uma sensação de fake, de recortes que não mostram o processo. Mas um dia desses vi um post bem interessante, onde a pessoa falava que temos que aprender que toda foto é um antes. Não lembro de quem era, devia ter dado um print. Mas o raciocínio era de que você não precisa mudar drasticamente o seu corpo para ter um antes e depois.

Eu gostei muito dessa ideia: toda foto é um antes. Acho que a impressão fake que me dava era porque as fotos me parecem sempre iguais: a pessoa, no começo de uma dieta, escolhe uma roupa que estica bem e tira uma foto. Ao final, tira outra foto com a mesma roupa mostrando os quilos perdidos. Você planeja previamente o seu antes e depois. Não me entenda mal, eu sou a rainha do planejamento. Mas os antes e depois que mais me surpreendem são os não planejados.

A verdade é que você não sabe qual vai ser o evento que vai mudar a sua vida. Você pode tirar uma foto hoje, e ela pode ser a foto antes da autoestima, antes do emprego dos sonhos, antes do amor da sua vida, antes dos filhos. Ou ela pode ser a foto antes da depressão, antes do seu mundo virar de cabeça pra baixo, antes de você perceber que achava que tinha a vida perfeita e não tinha. Ou, sei lá, pode ser um durante e você nem sabe. Talvez, daqui alguns anos, você olhe para a sua foto de hoje e fale, “nossa, essa foi durante a minha fase de depressão, mas nessa época eu ainda não sabia o que tinha de errado.” Aliás, esse é o mais provável: que você só perceba depois o que você tinha naquele momento, seja bom ou ruim. Talvez essa seja a época que você vai olhar para trás e dar graças a Deus que passou. Talvez essa seja a época que você vai querer que voltasse. Talvez seja o momento onde tudo começou, e você nem sabia que tinha um tudo pra começar.

Foi o meu caso. Claro, houve um certo planejamento. A foto do antes não é uma foto aleatória. Eu tinha acabado de contratar a Geralda Francisca para uma consultoria e, antes que ela viesse aqui em casa, ela me pediu para mandar por whatsapp as fotos do meu look de cada dia durante uma semana. Essa foi a de um ano atrás. Sinceramente, eu não imaginava uma grande diferença. Eu estava com medo de estar pagando por algo irreal. Achava que ela ia me dar várias dicas pouco práticas que eu não ia conseguir sustentar a longo prazo. Eu não achava que meus looks do dia-a-dia iam mudar muito. Afinal, eu sou uma pessoa prática. Mas eu queria umas dicas pra combinar as coisas que eu tinha, pra conseguir montar uns looks legaizinhos pra alguma festa, pra não repetir sempre a mesma roupa.

Eu consegui mais que isso. Foi uma mudança que eu não imaginava. Podem ter certeza: eu nunca me imaginei blogueira, muito menos blogueira plus size. Sabe aqueles sonhos distantes que a gente tem, aqueles que você sonha no chuveiro? O meu era escrever um livro que fizesse muito sucesso, virasse roteiro de filme e ganhasse Oscar de melhor roteiro adaptado. E que a atriz também ganhasse o Oscar e, no seu discurso de agradecimento, me agradecesse por ter criado aquele personagem pra ela (eu tenho um carinho especial por atores que lembram de agradecer o autor). Pronto. Esse era o meu sonho. Viver atrás do computador, sendo reconhecida pelo intelecto, mas sem perder nada da minha privacidade. Porque eu sou meio obsessiva com privacidade. Pessoa ideal pra resolver ser blogueira, né?

Enfim. Eu consegui manter as mudanças nos looks pós consultoria, fui postando cada vez mais, e as coisas foram indo a partir daí. Hoje, eu não me vejo sem o Gorda é a Mãe. Eu garanto que esse não era o antes e depois que eu imaginava. Mas foi o que mudou a minha vida.

Então aí está a foto clássica de antes e depois, pra eu pagar língua. Um ano atrás e hoje. Antes da consultoria com a Geralda Francisca, antes de ter Bárbara Myssior na minha vida, antes de eu me achar linda, antes de saber valorizar um jeans e camiseta, antes da aceitação, antes da autoestima, antes da coragem de me assumir gorda perante ao mundo, antes de achar que importava o meu incômodo com os padrões estéticos, antes do blog, antes da GeM, antes de um novo desafio. E depois. Ou, na verdade, durante. Eu espero ter mais depois ainda. Depois da aceitação completa. Depois do reconhecimento. Ah, gente, eu quero tanto depois! Normal, né? O truque é curtir o durante. E correr atrás de depois cada vez mais positivos.

P.S. – Ah, e o look? A mesma calça jeans com a mesma camiseta. A diferença que uma terceira peça, alguns acessórios e um belo toque de autoestima fazem!

Gabi Lessa

Gabi Lessa

Deixe um comentário

Sobre Nós

O Gorda é a mãe é um blog sobre autoestima, positividade corporal, feminismo, maternidade e mais um bocado de coisa interessante. Vem com a gente!

Posts + Recentes

Curte Aí!

Insta Feed